Você sabe o que são fundos imobiliários?

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Quem busca uma fonte de renda segura certamente se faz a seguinte pergunta: onde e como devo investir? De olho no mercado imobiliário, que nos últimos anos tem visto uma crescente valorização e rentabilidade, os fundos imobiliários têm se mostrado uma interessante forma de investir.

Afinal, o que são os fundos imobiliários?

Destinado a quem tem por interesse viver de renda, os fundos imobiliários são uma espécie de condomínio de investidores administrados por instituições financeiras com objetivo de aplicar recursos com base imobiliária, sendo eles títulos financeiros, desenvolvimento de empreendimentos ou imóveis prontos por valores menores.

Quem opta por este tipo de negócio tem a vantagem de investir com menos riscos, já que a exposição imobiliária é mais abrangente e possui menos riscos de deterioração ou vacância.

Outro ponto a favor é a questão da tributação, que traz isenção da incidência de Imposto de Renda nos valores, diferentemente dos aluguéis de imóveis físicos, que precisam arcar com a contribuição.

No entanto, para que a isenção ocorra, é preciso estar de acordo com as exigências da lei Lei 11.196/05 (o cotista beneficiado deve possuir menos do que 10% das cotas do fundo; o fundo de investimento imobiliário deve ter, ao mínimo 50 cotistas e as cotas de fundo devem ser negociadas na bolsa de valores somente ou em mercado de balcão organizado).

Como devo investir?

O primeiro passo para passar a investir neste mercado é cadastrar-se em uma corretora de valores, que irá adquirir as cotas dos fundos. Ao escolher uma cota para investir, analise com bastante cautela fatores como quais imóveis que fazem parte do negócio, seu histórico de rentabilidade e etc.

Avaliar a rentabilidade de um negócio inclui o fato de o retorno ser maior que investimentos de renda fixa ou os da poupança.

Leia também:

Assim como no mercado de ações, o envio de ordem pode ser adquirido através do home-broker, que consiste em um programa da própria corretora que permite realizar a comercialização de ações via internet.

Depois disso, é preciso estar atento aos custos, que nada mais são que a taxa de corretagem (que ocorre devido a realização da ordem do investidor com a BM&F Bovespa), a taxa de administração (que é cobrada para a administração e gestão do fundo adquirido), e o IR (que não cobra de pessoas físicas a renda mensal dos aluguéis, mas cobra o imposto mensal quando a cota é comercializada por um valor maior que o da aquisição).

Possíveis riscos

É preciso estar atento aos riscos que os fundos imobiliários trazem antes de decidir por este tipo de investimento. Assim como os investimentos em ações, eles existem e podem vir a ocorrer por uma série de razões. Confira abaixo:

Baixo valor de mercado

Com a crise econômica, o valor dos imóveis pode sofrer queda, resultando na desvalorização do imóvel.

Contratempos na obra

Caso o imóvel ainda esteja em construção, fatores como a demora na realização da obra também pode trazer prejuízos à negociação de distribuição dos rendimentos aos cotistas.

Vacância

O imóvel está sujeito ao risco de passar algum tempo desocupado, o que reduz a taxa de ocupação dos empreendimentos que fazem parte do fundo.

Esteja atento, colete o máximo de informações antes de fechar o negócio e busque sempre uma consultoria para que seu dinheiro possa estar seguro e bem-investido.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco, ficaremos felizes em atende-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *